Após 28 anos de magistratura, tomou posse na tarde desta quinta (21), no cargo de desembargadora do TRT-MG, a então juíza Jaqueline Monteiro de Lima, titular da 43ª VT de Belo Horizonte. A cerimônia foi prestigiada por magistrados, servidores e familiares. No mesmo ato, a empossada foi agraciada com a Medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho Desembargador Ari Rocha, no Grau Grã-Cruz. Assista à reportagem da TV TRT-MG.

Presente à solenidade, o presidente do tribunal, desembargador Marcus Moura, em sua fala além de destacar a devoção à magistratura da empossada, refletiu sobre o momento pelo qual passa o Poder Judiciário e a Justiça do Trabalho, “prolífero em inquietações e mudanças”. Segundo ele, “a complexidade constitutiva de tantas relações que se travam contemporaneamente na sociedade brasileira exige do juiz, como raramente no passado, um esforço incomensurável e perseverante para que possa situar-se com adequação jurídica e sensibilidade em meio à tensão entre fato e norma”. Para ele, “o momento exige dos juízes não apenas a tarefa do grande labor interpretativo, mas profundo senso de responsabilidade, espírito público e entrega mesmo”. Leia aqui o discurso na íntegra.

Fotos: Leonardo Andrade

Já em sua manifestação, a nova desembargadora lembrou sua caminhada, desde a posse em 14 de outubro de 1991, “permeada por desafios, por ser mulher, juíza num universo predominantemente masculino, em que as dificuldades sob diversos aspectos não são percebidas e sentidas em sua profundidade”. Mas reafirmou seu compromisso com a magistratura. “Por todos os dias desses 28 anos, repetiria a minha escolha. Viveria de novo cada um dos dias e tentaria de novo realizar diariamente a justiça em cada caso, com o esforço máximo de acertar, de não me desviar. Sempre tentei buscar em mim a melhor juíza que poderia ser para as partes, advogados e servidores num convívio harmonioso e frutífero”. Aqui o discurso na íntegra.

Breve currículo 

Natural de Sete Lagoas, Jaqueline Monteiro de Lima graduou-se em direito pela PUC-Minas e advogou entre 1983/1985. Posteriormente, ingressou na Justiça do Trabalho mineira como servidora em 1986 até alcançar a magistratura em 1991.

Fonte: TRT3