Fotos: Leonardo Andrade

A Escola Judicial do TRT-MG receberá o nome do desembargador Paulo Emílio Ribeiro de Vilhena. A homenagem ao magistrado aposentado, morto em janeiro deste ano, foi aprovada pela maioria dos desembargadores, em sessão do Tribunal Pleno realizada na tarde desta quinta-feira (2).

Paulo Emílio presidiu o Tribunal entre 1975 e 1977. Ele também foi professor emérito da Faculdade de Direito da UFMG, professor da Faculdade de Direito da PUC-MG, além de membro da Academia Mineira de Letras Jurídicas e fundador da Academia Nacional de Direito do Trabalho.

Na sessão também foram julgados Agravos Regimentais e Embargos de Declaração.

Despedida de Luiz Ronan Neves Koury

200px_2018_0802_Pleno_DesRonan_LA.jpgA sessão do Tribunal Pleno desta tarde também ficou marcada por ser a última do desembargador Luiz Ronan Neves Koury (foto) que, após 31 anos de magistratura trabalhista, vai se aposentar no próximo dia 9.

Ele fez um agradecimento emocionado a Deus, à família e aos colegas magistrados, servidores e advogados. “Saio triste por perder a convivência com colegas tão especiais, mas grato e feliz por ter cumprido o meu dever com essa instituição, que preza, sobretudo, pela defesa da dignidade humana”, despediu-se.

Os desembargadores Denise Alves Horta, Ricardo Antônio Mohallem, Sebastião Geraldo de Oliveira, João Bosco Pinto Lara e Paula Oliveira Cantelli usaram da palavra para homenagear o magistrado. Também se manifestaram a procuradora-chefe do Ministério Público do Trabalho em Minas Gerais, Adriana Augusta de Moura Souza, o presidente da Amatra3, juiz Flânio Antônio Campos Vieira, e o 1º secretário da Associação Mineira dos Advogados Trabalhista, Léucio Leonardo.

Remoções a aposentadorias

Após o Pleno, teve início a sessão do Órgão Especial, que aprovou a remoção do desembargador Paulo Maurício Ribeiro Pires da 10ª para a 5ª Turma, em virtude da aposentadoria do desembargador Luiz Ronan Neves Koury. Também foi aprovada a remoção da juíza substituta Wanessa Mendes de Araújo para o TRT da 10ª Região (Distrito Federal e Tocantins).

Na mesma sessão, foram referendadas as aposentadorias dos servidores Ademir Mendes dos Santos, Ângelo Márcio Ferreira, Marlon Damasceno Agostinho e Patrícia do Perpétuo Socorro Lemos.

Fonte: TRT3