Em sessão ordinária telepresencial do Tribunal Pleno realizada na tarde desta quinta-feira (11), pedido de vista do desembargador Jorge Berg de Mendonça adiou a formação da lista tríplice para vaga de desembargador destinada à OAB, decorrente da aposentadoria da desembargadora Emília Lima Facchini. A lista será votada na próxima sessão do Pleno, marcada para 9 de dezembro.

Outra lista tríplice, desta vez para preencher a vaga originada com a aposentadoria do desembargador Cléber José de Freitas, foi formada durante a sessão, pelo critério de merecimento. Encabeça a relação o juiz Ricardo Marcelo Silva, titular da 41ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, que recebeu 38 votos, seguido pelos juízes Danilo Siqueira Castro de Faria, titular da 48ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte, e Marcelo Moura Ferreira, titular da Vara do Trabalho de Sabará, respectivamente com 34 e 33 votos.

Para fundamentar seus votos, os desembargadores analisaram parâmetros como desempenho, presteza, produtividade, aperfeiçoamento técnico e conduta ética dos postulantes à vaga, como preconiza a Resolução 106/2010 do CNJ. A lista agora será enviada para a Presidência da República para a escolha do novo membro.

WhatsApp_Image_2021_11_11_at_19.45.46.jpegOs juízes Ricardo Marcelo, Danilo Siqueira e Marcelo Moura

Homenagem

O Tribunal Pleno prestou homenagem à desembargadora Camilla Guimarães Pereira Zeidler, que vai se aposentar. Escolhido pelo presidente do TRT-MG, desembargador José Murilo de Morais, para prestar homenagem, o desembargador Sebastião Geraldo de Oliveira disse não ser uma tarefa fácil, “vista a exuberância da carreira da colega”.

“Com 40 anos de trabalho, a desembargadora Camilla demonstrou sua vocação, qualidade técnica e comprometimento com a magistratura. É sempre uma companhia desejada pela leveza, entusiasmo e postura colaborativa com todos, indistintamente. Ela deixa para nós saborosas lembranças de um convívio harmonioso e do exemplo como magistrada”, destacou.

Em seguida, foi exibido um vídeo com mensagens dos dois filhos da desembargadora Camilla Zeidler, Caio e Amanda, que moram fora do país. Outros desembargadores também usaram da palavra para homenagear a colega que se aposenta, assim como representantes do MPT e da OAB presentes na sessão.

WhatsApp_Image_2021_11_11_at_19.09.36.jpegAgradecendo ao desembargador Sebastião Geraldo e a todos que se manifestaram em sua homenagem, a desembargadora Camilla afirmou estar sendo invadida por um misto de sentimentos. “Tranquilidade do dever cumprido e realização por ter sempre trabalhado naquilo que amo, nos últimos 40 anos, mas com um quê de tristeza, por estar chegando ao fim. Um frio na barriga, um aperto no coração, um nó na garganta. Mas o sentimento maior é o de gratidão”.

“Gratidão em primeiro lugar ao meu pai Francisco Guimarães Pereira Junior, que foi juiz vogal do TRT da 2a Região (São Paulo) por dois mandatos e que me levou, com apenas 6 anos, para assistir a uma audiência trabalhista. Era uma audiência do cantor Moacyr Franco, contra a extinta TV Tupi, e, como Moacyr Franco estava no auge da carreira, a audiência teve que ser na parte da manhã para escapar do assédio das fãs. E eu, que também era fã de carteirinha do Moacyr, fiquei encantada ao ver meu pai sentado ao lado dele, e até ganhei um autógrafo. Saí de lá apaixonada pela Justiça do Trabalho, querendo trabalhar ali, como meu pai. Começava naquele momento, com apenas 6 anos, a minha paixão pela Justiça do Trabalho”, revelou.

Ela também agradeceu familiares, em especial ao marido já falecido Maestro Roberto Zeidler e aos seus filhos, além de colegas magistrados, servidores, advogados, estagiários e terceirizados com quem trabalhou.

Camilla Zeidler, que compõe a administração do TRT-MG que se encerra agora em dezembro, no cargo de 2ª vice-presidente, comentou sobre os desafios enfrentados pela atual gestão. “A pandemia foi avassaladora para o mundo todo, mas vocês não têm ideia de como foi ainda mais difícil administrar esse Tribunal, nos últimos 2 anos. Tivemos que nos reinventar todos os dias, enfrentando cada desafio novo que surgia. O importante é que nos mantivemos unidos, buscando o bem maior para os  nossos magistrados, servidores, estagiários e terceirizados, sempre primando pela justiça e pelo melhor para a nossa instituição. Tiro o chapéu aos meus colegas de Administração, vocês foram fortes, valentes, e juntos, conseguimos dar conta do recado”, finalizou.

Fonte: TRT3