A nova versão foi desenvolvida com apoio de servidores deficientes visuais da Justiça do Trabalho.

Visando garantir que o sistema do Processo Judicial Eletrônico (PJe) seja totalmente acessível às pessoas com deficiência visual, a versão 2.3 do PJe trouxe algumas novidades para tornar mais simples o uso da ferramenta  por elas.

Com o auxílio de servidores cegos do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (GO), o programa ganhou teclas de atalho que têm o objetivo de aperfeiçoar a acessibilidade dos usuários.

A técnica judiciária do TRT da 18ª Região Monique Rabelo, que é cega, vem ao CSJT durante uma semana por mês para testar os recursos de acessibilidade e sugerir melhorias. Já o servidor do CSJT Rafael Carvalho, que também tem deficiência visual e atua na Coordenadoria Técnica do PJe (CTPJE), é um dos desenvolvedores da ferramenta e o responsável pela atualização do programa a partir das sugestões feitas por usuários do sistema.

De acordo com o coordenador nacional do PJe, juiz Fabiano Pfeilsticker, a versão 2.3 foi preparada para que os leitores de telas usados por pessoas cegas possam entender todos os elementos do programa. “Toda a versão está sendo preparada para que uma pessoa com deficiência visual, guardadas as devidas limitações, seja capaz de operar plenamente o sistema”, disse.

Confira a reportagem produzida pela TV TST sobre a nova versão do PJe:

Fonte: CSJT